Histórico

O Museu Rural de Salselas «nasceu» em Paris, onde António Cravo, então emigrante à procura de emprego, começou a recordar, junto de outros companheiros, a aldeia onde nascera e onde, durante duas décadas, respirou o ar misturado com o pó da lavoura das terras e fabricou alguns utensílios com as próprias mãos.

Alertados pelos textos de grandes etnólogos portugueses, como José Leite de Vasconcelos, Ernesto Veiga de Oliveira e Jorge Dias, António Cravo e amigos puseram começaram a pensar em salvar as riquezas do passado para que o património tradicional não se perdesse com o durar do tempo.

O dia 15 de Julho de 1978 terá assinalado a verdadeira passagem das intenções aos actos, com a visita ao «Château de Lude», onde ficaram fascinados com o espectáculo de luz e som que permitia reconstituir o passado dessa vila francesa em casas de estilo rural. Doze dias depois, um casamento permitiu a reunião de cerca de 25 emigrantes salseleneses e descendentes, os quais criaram nesse mesmo dia a Comissão de Apoio à criação do Museu.

No ano seguinte e na própria aldeia foi criada a Comissão Instaladora, composta por António Dinis Sarmento, António Manuel Ribeiro, Joaquim Vieira e padre Acácio Fernandes, então pároco da freguesia.

A palavra começou a circular por Salselas, através de uma circular que a Comissão entregara ao pároco e ao presidente da Junta para divulgarem à população. Seguiu-se a escrita da Proposta de Princípios Orientadores para o Arranque do Museu, com os membros das duas comissões a abordarem cada família e a receberem desde logo diversos objectos para o futuro núcleo museológico.

Em 1981, após uma resposta da Câmara Municipal a incentivar a ideia, os membros das comissões começaram a recolher donativos para a construção de um edifício que fosse a sede do Museu, com dois pólos adjacentes. A 6 de Abril de 1983, a Câmara deliberava dar todo o apoio técnico e material necessários, para a construção do edifício e, a 10 de Maio, foi comprado o terreno, tendo as obras arrancado em Setembro de 1984.