Museologia

A Museologia, no sentido moderno do termo, nasceu em 1727, quando o mercador Gaspar F. Neickel de Hamburgo (Alemanha) criou o primeiro tratado sobre a matéria, chamado “Museographia” (em latim). Neste documento, ele dava conselhos aos amadores de colecções sobre como deveriam escolher os espaços, como as conservar e como as organizar quanto à missão e história.

O etnólogo Ernesto Veiga de Oliveira fala da museografia, termo que a França adoptou até à 2.ª Guerra Mundial, “como a expressão prática da museologia”. Este especialista define a museologia como “ciência dos princípios que devem orientar a instalação dos museus, assegurar a conservação e defesa dos objectos que os constituem, promover o estudo e a investigação acerca desses objectos e apresentá-los de forma que leve o público a compreender e apreciar o conteúdo estético, histórico ou científico que encerram”.

É a partir do conceito de Museologia que se pode definir o que é um Museu. A. M. Gonçalves, na Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura, diz que “cada museu é um caso, revestindo pela situação, pela instalação, pelas colecções e sua disposição, uma feição permanente que o caracteriza”.

A organização International Council of Museums, criada em 1947 sobre a égide da UNESCO, adoptou uma definição de museus que é reconhecida por uma grande parte dos países, embora com algumas adaptações à realidade museológica de cada um deles.

Em Portugal, coube à Associação Portuguesa de Museologia propor a seguinte definição: Museu é uma instituição ao serviço da sociedade que incorpora, inventaria, conserva, investiga, expõe e divulga bens representativos da natureza e do homem, com o objectivo de aumentar o saber, de salvaguardar e desenvolver o património e de educar, no verdadeiro sentido dinâmico de criatividade e cultura.

O Instituto Português dos Museus e do Observatório das Actividades Culturais acrescentam outros critérios para que uma instituição possa ser considerada Museu, como é o caso de dispor de programação coerente, pessoal habilitado, actividades culturais e verbas que custeiem o funcionamento.

Em 2004 surge o “Conceito de museu” com a publicação em Diário da República (I Série –A, n.º 195) da Lei n.º 47/2004,de 19 de Agosto.