"Sociedade"

A segunda grande temática do Museu Rural de Salselas é “A Sociedade”, que presta uma atenção mais específica às relações dentro da comunidade salselense.

O núcleo familiar ocupa as primeiras secções, nas quais são recriados os núcleos mais habitados pelas famílias: a lareira, a cozinha e o quarto.

                      

Seguem-se as criações lúdicas que permitiam o relacionamento dentro da comunidade, como os jogos tradicionais, a música, a dança, os pauliteiros, a literatura e o artesanato. Neste âmbito, destaca-se o emérito trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela Associação Recreativa e Cultural da Freguesia de Salselas e Pauliteiros.

Salselas criou a sua primeira associação designada “Associação Recreativa e Cultural da Freguesia de Salselas”, em 27 de Maio de 1982, tendo o objectivo”a promoção da cultura, desporto, música e recreatividade dos seus associados e de toda a população da freguesia”, conforme se pode ler nos Estatutos. Durante a segunda metade da década de 80 do século passado, retomou a orientação dos Pauliteiros de Salselas o ensaiador veterano Amadeu do Nascimento Pereira, dinamizando o Grupo da Mocidade e ainda dando início, em 1988, à criação dum grupo de crianças que o designaram pelo Grupo de Pauliteiros Juniores, podendo-se-lhes chamar também “Pauliteiricos” de Salselas.

Os Pauliteiros de Salselas, nunca se vestiram, durante o século passado, com os trajes mirandeses tal como se costumam ver os de outras terras da zona cultural de Miranda do Douro. Os nossos mudaram várias vezes de indumentária, consoante as épocas e as mocidades respectivas, mas ainda não tinham assumido vestirem-se com aqueles fatos. Foi só em 1996, em colaboração com a Junta de Freguesia de Salselas, que foram encomendados a Maria Susana de Castro, artesã de pardo e surrobeco de Sendim, oito fardas completas e uma capa de honras para o ensaiador, chapéus para todos os elementos e coletes para o tocadores. Vestidos de calções, camisas, saias, coletes, chapéus com rosas e fitas e calçados com meias e sapatos típicos dos costumes mirandeses, os Pauliteiros de Salselas puderam exibir-se pela primeira vez na festa do Emigrante, na albufeira do Azibo, a 15 de Agosto de 1998.

A penúltima secção aborda já a transição para a Cultura Industrial, com o Cabanal do Lavrador e o Carro de Bois a assinalarem o fim do núcleo museológico.